terça-feira, 2 de agosto de 2016

Morar em Maceió está difícil!

Volto a pensar alguns dos principais motivos que me fizeram pensar MUITO antes de retornar a morar em Maceió: o pensamento limitado, a forma como as pessoas julgam as outras e a forte presença do machismo em todos os espaços, seja da direita ou da esquerda.
Sempre tive a sensação que, por aqui, o que vale é a aparência (não necessariamente a física) e não a essência – isso acontece em outras cidades, mas em Maceió isso é muito notável. O status é o que vale. Aparecer. Estar em evidência. E quem não se encaixa, tem dificuldade de aceitação, fica de fora, não tem reconhecimento. Quando o maceioense, de um modo geral, vai deixar de pensar tão pequeno? Quando haverá uma ruptura dos paradigmas culturais arcaicos tão enraizados?
Voltei há quase 2 anos motivada pelo amor e pela busca da qualidade de vida. De repente, percebo que preciso me adaptar a essa babaquice na luta para desconstruí-la por dentro, ou cair fora mais uma vez, pois quem se abriu para outros mundos e enxerga para além da aprovação alheia não tem paciência com puxa-saquismo e necessidade excessiva de autoafirmação.
Taí uma razão para que tanta gente boa, grandes profissionais e artistas, não consiga mais viver por aqui! Uma cidade tão rica de cultura popular e tão pobre de pensamento. Maceió segue décadas atrasada no tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário