quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Índios radicalizam movimento após declaração do superintendente da FUNAI

Depois de assistir ontem (26) à noite os telejornais locais veicularem a informação de que o superintendente da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Frederico Campos, declarou que o órgão não reconhece os ocupantes como índios, os Xucuru-Kariri e Karapotó-Guariri resolveram impedir completamente o funcionamento dos serviços no prédio.
Hoje pela manhã, os funcionários da Fundação se depararam com os índios indignados, munidos de arco e flecha, borduna e tacape em frente ao portão, bloqueando a entrada. Os servidores ficaram sentados na calçada da Rua da Praia.
Em abril do corrente ano, o presidente da FUNAI, Márcio Meira, esteve em Maceió e comprometeu-se em mediar o conflito interno na tribo Karapotó, reconhecendo os índios. A informação foi divulgada em sites de notícias. O que prova que a declaração de Frederico Campos é completamente infundada.
O caso da aldeia Monte Alegre, da etnia Xucuru-Kariri, não é recente e está diretamente ligada ao combate à corrupção. Há cerca de quatro anos a terra - que estava sob domínio do vereador palmeirense Denisval Basílio, o criminoso Val Basílio, indiciado na Operação Carranca e preso - foi retomada pelos índios. Resta apenas o parecer do Tribunal Regional Federal (TRF) para garantir a posse definitiva da propriedade.
Tais informações não são novidades para os gestores públicos, o que parece faltar é vontade política para resolver a problemática e amenizar a injustiça histórica cometida contra as comunidades indígenas alagoanas.
Os índios agora contam com apoio de sindicatos, a exemplo do Sindicato dos Servidores da Justiça Federal no Estado de Alagoas (SINDJUS), o qual tem sua categoria em greve. O movimento pretende fazer uma parceria em atividades de reivindicação.
Eles estão realizando um Ato Público, que passou pelo Palácio do Governo e seguiu para a Assembléia Legislativa de Alagoas. Em seguida, retornarão à FUNAI.
Segundo o Cacique Chiquinho, mais índios estão chegando dos municípios de Palmeira dos Índios e São Sebastião. “A situação está precária aqui. O pessoal está dormindo no chão, tem crianças e idosos, e ainda vai chegar mais gente”, disse.


Por Lara Tapety – Jornalista (SRTE/AL nº1340)
Assessoria de comunicação
(82) 9305-6290 / (82) 9672-8660



Outras informações:
Chiquinho – Cacique Xukuru-Kariri – (82) 9943-3919

Nenhum comentário:

Postar um comentário