segunda-feira, 23 de maio de 2011

Palpite sobre o suposto mistério das meninas que morreram afogadas no interior de Minas Gerais

Bairro do Cantagalo, Itajubá, sul de Minas. No dia 1º de maio, um grupo de adolescente se diverte no Rio Sapucaí. Michele Bittencourt, de 16 anos, grava a farra com a câmera do celular. Ela registra a amiga Vanessa Moreira, de 17 anos, entrando na água.
“O que você quer, Vanessa, sai daí! Deixa eu ir lá com a Vanessa, vai filmando”, fala Michele.
Michele vai para o rio e deixa o celular com outra pessoa, que continua a gravar. Um minuto depois acontece a tragédia

O vídeo apareceu esta semana na internet. Olhando as imagens com cuidado, é possível ver que algo passa próximo das meninas, no momento em que elas gritam. Logo depois, se afogam.


Ontem, o Fantástico, programa da Rede Globo, investigou o caso das adolescentes. Hoje, Ana Maria Braga, no seu programa matinal Mais Você, também comentou o assunto, com o tema "mistério das meninas que morreram afogadas no interior de Minas Gerais". No entanto, não vejo nenhum mistério.
Meu palpite é que as meninas se assustaram com um bicho não identificado; uma delas, que não sabia nadar, se apoiou na outra, que nadava mal; as garotas terminaram uma afogando a outra na tentativa de se salvar. Isso, que chamam de "mistério", é muito comum, com exceção do bicho, seja cobra ou qualquer outro animal, inclusive humano (um membro das próprias meninas). A maioria dos casos de afogamento, segundo o corpo de bombeiros, ocorre por imprudência e as vítimas são jovens entre 16 e 32 anos. Exatamente o caso noticiado.
Lembrei de certa vez que presenciei um afogamento de um jovem com síndrome de down na praia do Francês, litoral sul de Alagoas. Estava num barco, quando vi o rapaz se afogando. Fiquei desesperada tentando ajudar. Joguei a bóia, mas ficou distante da vítima. Mergulhei para tentar jogar a bóia mais perto. No mesmo momento, meu pai gritou comigo, pedindo para eu me afastar. As pessoas que estavam na praia fizeram uma corrente para tentar salvar o jovem, porém, muitos que lá estavam também não sabiam nadar, e a corrente humana começou a afundar. Logo a corrente imprudente se desfez, um bombeiro salva-vidas chegou ao local e resgatou a vítima. O rapaz, desmaiado, precisou dos primeiros socorros. No final, tudo terminou bem dessa vez.
Moral da história: se você for entrar numa piscina, rio, lagoa ou mar, pense direitinho nas suas limitações, analise os riscos. Caso não saiba nadar ou esteja em companhia de alguém que não sabe, leve algum material flutuante onde possa se apoiar. Além disso, evite ficar muito próximo a alguém que não sabe nadar, porque a tendência é a pessoa tentar se apoiar em quem estiver mais perto, assim, causando o afogamento.
O que merece destaque não é o suposto mistério, mas sim o perigo de pessoas entrarem num rio que não conheciam sem saber nadar e sem nenhum tipo de equipamento salva-vidas. Caso a imprensa se preocupasse mais em informar no sentido de educar, esse e tantos outros acidentes poderiam ser evitados. Bom seria se a grande mídia deixasse de fazer sensacionalismo com o fato e levasse o corpo de bombeiros para informar a sociedade! Uma hora é capaz de a Globo fazer isso, mas só depois de noticiar o que, infelizmente, dá mais audiência: desgraça.

Dicas do Corpo de Bombeiros para prevenir acidentes de afogamentos:
- Obedeça a sinalização dos locais perigosos e evite acidentes;
- Pergunte sempre ao guarda vidas sobre os locais apropriados para banho;
- Entre no mar com cuidado e não vá para locais de maior profundidade e perigo;
- Mantenha crianças sempre sob sua vista;
- Permaneça longe de encostas e pedras;
- Se você perceber alguém com dificuldades na água, mantenha a calma e chame imediatamente um Guarda-vidas;
- Preserve a natureza! Coloque o lixo em sacos e jogue-o nos lugares certos, não destrua nada, para poder usufruir novamente;
- Se pretender entrar no mar, rio ou lagoas, cuidado com os excessos de comida e bebida, principalmente de bebidas alcoólicas, jamais caia na água com o estômago cheio;
- Evite exageros e cuidados com o sol. O excesso de exposição traz danos à saúde. Use sempre protetor solar adequado, proteja-se com um guarda-sol, beba bastante líquido, de preferência água, e molhe-se no mar de vez em quando;
- Não siga os que se dizem grandes nadadores, o mar já levou a vida de muitos deles;
- Se houver necessidade de socorrer alguém, tenha sempre em mãos um material flutuante e grite por ajuda;
- Pratique esportes nos horários e locais indicados;
- Se você perceber que irá se afogar, ou se não estiver se sentindo bem, não se intimide e grite por socorro;
- Para maior segurança, aprenda um método de respiração artificial. Reúna um grupo de amigos e peça orientação do guarda-vidas;
- Quando estiver nadando, não lute contra a correnteza. Nade no sentido diagonal. Evite permanecer na praia quando houver trovoadas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário