quinta-feira, 10 de março de 2011

Movimento Estudantil no Carnaval e a educação superior em foco

O vídeo abaixo é um clipe de marchinha de carnaval, criado pelo pessoal do DCE-UFAL (Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Alagoas). Apesar de discordar politicamente do grupo majoritário da atual gestão da entidade, chamada "Correnteza" (militantes do PCR (Partido Comunista Revolucionário) e simpatizantes), tenho que admitir que o vídeo ficou ótimo, segue bem a velha frase: "Seria cômico, se não fosse trágico".


O sucateamento das universidades federais não é uma novidade, mas os últimos governos, especialmente do PT (Partido dos Trabalhadores),  vêm destruindo não apenas a infra-estrutura das IFES (Instituições Federais de Ensino Superior), mas a própria educação. Quando falo educação trato de uma concepção de educação emancipadora, transformadora e crítica.
As universidades a cada dia formam mais pessoas não pensantes, sem sensibilidade e até; pior, sem ética, sem caráter. Além da tecnização, é uma total aculturação. Marx escreveu com outras palavras, no Manifesto Comunista, que a burguesia reduziu a dignidade pessoal a simples valor de troca e, no lugar das liberdades conquistadas com muito esforço, erguiu a liberdade do comércio. Ele também diz que a burguesia rasgou o véu de emoção das relações familiares. Agora estamos diante isso mais do que nunca.
Os seres humanos estão cada vez mais se transformando em máquinas, onde o pensar está dissociado do agir e o agir está condicionado pelo sistema. Os verbos pensar e refletir dão lugar a agir e operacionar de forma desconectada. As máquinas humanas seguem as ordens impostas, sem contestação, simplesmente porque perderam até mesmo a capacidade, ou melhor, a sensibilidade de pensar e, claro, de perceber isso. É a total alienação.
A turma do PT e seus comparsas está fazendo uma verdadeira lavagem cerebral no povo brasileiro. Isso ficou claro no carnaval de 2011, onde a cultura popular foi sucumbida pela de massa alienadora e vulgar. Nada contra as novas manifestações artísticas terem seu espaço na época, contanto que não invadam o espaço das tradicionais e não sejam a principal atração. O próprio rock'n roll é bem vindo no carnaval, mas que fique lá no seu canto, sem destruir as expressões populares. O que não dá é escutar "Foge, foge Mulher Maravilha. Foge! Foge! Com  Super Man...!" e "Vou não, quero não, posso não, minha mulher não deixa não" até na folia de Olinda. Coisas desse tipo não deveriam sair do seu lugar de origem.
Até o Dia Internacional da Mulher, que foi celebrado no mesmo dia do Carnaval, ficou apagado pela própria promiscuidade da festa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário