quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

CUT freia movimento dos servidores do MTE em Alagoas


Apesar da situação caótica no Ministério do Trabalho e Emprego em Alagoas, os servidores - com um empurrão para trás da Central Única dos Trabalhadores (CUT) - decidiram não fazer o protesto previsto para hoje. 
Inicialmente, o Sintsep (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal) havia programado um Ato para segunda e adiou para esta quarta-feira, contando com a chegada de Rosangela Rassy, presidenta do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho, que reforçaria o movimento. Porém, segunda-feira à tarde a CUT, através de um dirigente do Sindprev (Sindicato dos Trabalhadores da Previdência Social), fez uma reunião com alguns servidores do ministério, que freou qualquer possibilidade de organização da categoria contra o sucateamento do órgão e os desmandos de seu superintendente. A reunião contou com a presença do coordenador geral do Sintsep, filiado à Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), convocado supostamente de última hora. Foi decidido que a categoria vai encaminhar um ofício ao superintendente e, caso as reinvindicações não sejam atendidas, pretende discutir um protesto após o dia 16 de fevereiro, data prevista para lançamento da campanha de lutas de 2011. Enquanto isso, tudo parado. Depois disso, tudo enrolado.
Não é a primeira vez que a CUT inviabiliza mobilização da turma do MTE. Ano passado, várias foram as vezes que os trabalhadores desistiram de paralisações, foram enganados com falsas expectativas e conquistas fictícias (criação de Grupos de Trabalhos que não avançam, apenas servem para travar o movimento; reuniões e mais reuniões que nada definem). O representante da Central governista e corrupta, ao que parece, tem "o rabo preso" com o superintendente, e sempre se reúne com os trabalhadores com objetivo claro que travar a luta e enrolar a categoria para que a situação continue na mesma.
O clima na Superintendência do Trabalho e Emprego no Estado é horrível, insatisfação e medo se misturam com a estética do abandono. Questionada sobre a situação no local, uma servidora diz que não agüenta mais trabalhar na repartição e que pretende fazer concurso para outro órgão.
Não é possível que os trabalhadores e trabalhadoras não percebam nunca que CUT e Governo do PT estão enrolando todas e todos!
Não é possível que esse povo desista de lutar pelos seus direitos enquanto as lideranças negociam na calada da noite, tomando uísque importado e enchendo os bolsos de dólares e euros!

Obs: O conteúdo deste texto expressa a opinião da autora e não do sindicato onde presta serviço. A ética profissional não impede que ninguém expresse sua opinião, mais que isso, sua indignação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário