quarta-feira, 15 de setembro de 2010

“Caras Pintadas” nas ruas: Não era “Fora-Collor”, era “Fora-Téo”

De longe, vi uma confusão nas proximidades da Praça Sergipe, as funcionárias do Sintsep falaram:
- É o Collor, é o Collor! Vai lá tirar uma foto dele pra mim!
Reparei e vi uma camisa com as palavras “Caras Pintadas”. Entusiasmada, lembrei do “Fora Collor”. Porém, era “Fora Téo”.
Manifestação dos Caras Pintadas é interrompida pela PM
        
         O movimento partiu das mediações do Cepa, no Farol, e logo foi interrompido quando chegava à Praça Sergipe, na Rua Comendador Palmeira.  Segundo os manifestantes, a Polícia Militar mandou parar os trios elétricos por ordem de um juiz, mas nenhum documento foi apresentado. Depois, afirmaram que a ordem veio diretamente do Comando Geral da PM. “Se fosse contra outro candidato isso não aconteceria!”, disse um jovem.
Ofício mostrado pelos manifestantes
         Os estudantes mostraram diversos ofícios protocolados pelo Movimento Caras Pintadas para comunicar, segundo eles, sobre a atividade aos órgãos competentes: Batalhão de Trânsito da PM, Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT), (Superintendência Municipal de Convívio Urbano (SMCCU), Secretaria Municipal da Saúde e Samu. Na realidade, nos ofícios o Movimento informa que “estará realizando um evento em comemoração aos seus 8 (oito) anos em Alagoas no dia 15 de setembro de 2010, horário: 12h às 20h, com concentração no PAPÓDROMO (Levada) e CEAGB (Farol) e deslocamento para o Centro de Maceió” e prevê a participação de 3.000 pessoas. (Imaginem se falassem a verdade!)
         Os ofícios foram assinados pelo coordenador dos Caras Pintadas, Raudrin Lima, que foi superintendente de Políticas Públicas para Juventude, setor ligado à Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, no início do Governo Téo.  
         Em entrevista à Gazetaweb, no dia 25 de agosto, Raudrin afirma: “...fizemos vários programas e enviamos todos a Brasília para que pudéssemos conseguir os recursos necessários para executá-los. Lembro-me que, numa reunião na cidade de São Luiz, no Maranhão, todos os estados apresentaram ao Ministério da Justiça seus projetos voltados para a juventude e Alagoas foi considerado o melhor na formatação de políticas públicas para esse segmento. Entretanto, nada saiu do papel”.


Mas, afinal, quem está por trás dos “Caras Pintadas”?
Raudrin Lima com o delegado Pinto de
Luna, cadidato ao senado. Foto extraída
do Blog A Tabicada-Caras Pintadas
         Raudrin Lima era superintendente da juventude do atual Governo quando Wedna Miranda, cunhada de Ronaldo Lessa – candidato ao governo – era secretária da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos. No lugar da Miranda, cuja família tem uma história marcante frente às lutas em Alagoas, Teotônio Filho empossou Marluce Caldas, irmã do ex-deputado federal "sanguessuga" João Caldas (atualmente PSDB, antigamente PL).


Acusação do “Xô Téo”
Camisa do Movimento Caras Pintadas
         Os manifestantes acusam o Governador Teotônio Vilela, candidato à reeleição, de descumprir as políticas públicas para a juventude. Segundo um deles, Téo foi escolhido como alvo do movimento porque é o atual governador do Estado.

Fatos isolados, duvidosos, mas possíveis
         Um grupo de estudantes disse que um carro, com adesivo de um candidato taturana apoiado pelo governador, apontou uma arma e ameaçou atirar nos participantes da atividade.
         Os mesmos também denunciam que, a mando de Téo ou de seus comparsas, as aulas no Cepa, foram suspensas ontem para evitar que mais estudantes participassem do protesto. O feriado é amanhã, mas hoje não houve aula nas escolas do complexo educacional.

O resultado
          Como era de se esperar, o movimento "miou" e ninguém foi preso, a não ser um trio elétrico. Sinceramente, não sei quem merece mais um óleo de peroba para ter a "Cara Pintada".
        Na dúvida, PEROBA NELLES!


Polícia "dialoga" com manifestantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário